“Bem Mais Discretos” – Matéria na revista “O Flu”

Aparelhos ortodônticos com novos materiais, estética e conforto*

As imperfeições da mordida e a estética dos dentes se tornaram mais agradáveis de serem corrigidas graças à evolução nos tratamentos da ortodontia, que traz modelos de aparelhos cada vez mais modernos e discretos.

“Em 1970, Lawrence F. Andrews desenvolveu o primeiro aparelho ortodôntico totalmente pré-ajustado (Straight Wire), programando nas peças do aparelho (brackets) um direcionamento espacial correto das angulações, tornando o tratamento menos doloroso, rápido, eficiente e com melhor qualidade de finalização dos casos. Nos últimos dez anos, um antigo projeto de aparelho tomou força, sendo revitalizado com a chegada de arcos ortodônticos termoelásticos de última geração, desenvolvidos a partir de pesquisas realizadas na Nasa (Agência Espacial Americana). Este novo sistema, denominado Aparelho Autoligado, permite movimentações dentárias mais fisiológicas, redução considerável no tempo de tratamento e menor necessidade de extrações”, explica o ortodontista Pedro Paulo Sampaio.

Pedro Paulo também explica que com a chegada do paciente adulto à ortodontia, uma nova exigência começou a ser demandada: a discrição. Desde então, algumas alternativas foram criadas para atendê-los, como os brackets transparentes e brancos que são produzidos em materiais como safira, cerâmica, poliuretano e resinas, assim como arcos brancos e elásticos transparentes. Foi desenvolvido também o aparelho lingual colocado pela parte interna da arcada dentária. Para pequenas movimentações, foram criados os alinhadores, que são aparelhos removíveis translúcidos, dando a sensação de serem invisíveis e, por isso, chamados pelos pacientes de “aparelho invisível”.

A ortodontista Tatiana Féres Assad Loss acrescenta que os brackets de porcelana e de safira são boas opções estéticas para pacientes que não querem ter um sorriso metálico, entretanto, em algumas fases do tratamento, o fio ou arco ortodôntico ainda será metálico. Embora a ortodontia lingual solucione a queixa estética da maior parte dos pacientes, em termos de conforto este tipo de aparelho ainda deixa a desejar.

Os brackets colados por trás dos dentes pode causar desconforto, alterações na fala e dificuldade de higienização, por isso, o Invisalign (tipo de aparelho ortodôntico chamado de alinhador que não usa brackets ou fios, é removível e quase invisível) surgiu como opção para estes pacientes que querem corrigir o alinhamento dos dentes sem abrir mão da estética e do conforto.

materia-revista-o-flu Recorrendo sempre aos aparelhos mais discretos, a arquiteta Flávia Moraes, que usou por dois anos brackets transparentes, optou pelo Invisalign há um ano. Ela conta que além da facilidade em comer o que quiser e quase ninguém perceber esse alinhador durante seu dia a dia, outra vantagem é poder ver o processo do tratamento através de uma programa específico.

“Vou viajar e só volto em fevereiro, já recebi os alinhadores para mudar a cada duas semanas e não vou atrapalhar o tratamento. Através do ClinCheck, pude ver a evolução do tratamento antes mesmo de terminar”, comemora Flávia.

Disciplina é fundamental para um bom resultado

Tatiana Féres Assad Loss explica que o Invisalign é indicado para pacientes adultos ou adolescentes que já fizeram uso de aparelho convencional e ainda não estão satisfeitos com o sorriso. Mas é preciso que seja um paciente totalmente disciplinado, já que é preciso usar o aparelho 22 horas por dia.

“Os alinhadores Invisalign são confeccionados com tecnologia importada a partir de uma moldagem especial que é enviada para os Estados Unidos onde é digitalizada e enviada ao ortodontista credenciado. Com este modelo digital tridimensional, o profissional realiza o tratamento ortodôntico através de um software de simulação virtual de tratamento, que possibilita que o paciente veja o resultado final antes do início do tratamento”, detalha.

Como no tratamento ortodôntico convencional, antes de iniciar o tratamento com o Invisalign, o paciente deve realizar uma documentação ortodôntica composta por radiografias, modelos e fotografias fundamentais para o estudo e planejamento do tratamento.

*Por: Ayra Rosa, publicado em 11/01/2015

Comentários

  1. Texto muito explicativo, tirou a maioria das minhas duvidas, e também fiquei surpreso de saber que tem vários tipos de aparelhos discretos e que usam materiais diferentes como: safira, cerâmica, poliuretano e resinas etc.

Deixe seu comentário

*